Home / Futsal / A resposta cientifica de como marcar em superioridade numérica (1×0+GR; 2xO+GR; 2×1+GR; 3×2+GR)

A resposta cientifica de como marcar em superioridade numérica (1×0+GR; 2xO+GR; 2×1+GR; 3×2+GR)

O jogo de futsal é “simples”: sofrer menos golos e marcar mais que o adversário! Pelo menos é assim no papel. A realidade mostra um jogo bem mais complexo, bem mais organizado e bem mais difícil de criar desiquilíbrios e oportunidades de golo no adversário. Pela lógica e pela evolução expectável do jogo, num breve futuro será ainda mais complexo que o ataque se superiorize à defesa. Isso torna as situações de contra-ataque e de superioridade numérica ainda mais importantes. Por esta mesma razão é fundamental entender como a ciência e trabalhos científicos ajudam a encontrar a melhor forma de marcar golos durante um ataque rápido em que temos os números do nosso lado!

As situações de superioridade numérica ofensiva estão normalmente associadas a saídas rápidas para o ataque (contra-ataque e ataque rápido) sendo por isso condicionadas pelos princípios definidos para as transições e para estes métodos de jogo, mas também poderão resultar de ações individuais ou coletivas em ataque posicional, que se constituam como perturbações no normal fluir do jogo e introduzam uma quebra na simetria ou igualdade verificada. A procura da superioridade numérica é um dos objetivos no contra-ataque.

No âmbito das situações de superioridade numérica ofensiva, as mais clássicas são: a)1xO+GR, um atacante contra o guarda-redes (GR); b) 2xO+GR, dois atacantes contra o GR; e) 2×1+GR, dois atacantes contra um defesa e um GR; d) 3×2+GR, três atacantes contra dois defesas e um GR; e) 4×3+GR, quatro atacantes contra três defesas.

Segundo diversos autores, na resolução destas situações devemos sempre “ler” bem a defesa e procurar as melhores linhas de passe, sendo a rapidez de decisão um fator crucial no seu desfecho. No entanto cada uma delas reclama comportamentos ou decisões/soluções específicas consoante o envolvimento, o momento, a interação e os constrangimentos verificados para cada situação. Abaixo, descrevemos as principais:

1×0 + GR – um atacante contra o GR 
~ Aproveitar a velocidade e inércia que se leva em direção à baliza.
~ Utilizar toda a habilidade técnica e tática, desde as fintas até ao remate, tendo em conta a posição e colocação do GR.
~ Decidir rápido e prever a área de intervenção e saída do GR.
~ Adotar uma trajetória retilínea em direção à baliza, para estar à frente do defensor, ter maior ângulo e ter a dupla possibilidade de rematar pela direita ou pela esquerda.

2xO+GR – dois atacantes contra o GR
~ Avançar a bola rapidamente situando-nos não alinhados com o GR.
~ Manter a maior distância possível entre os atacantes.
~ Realizar o passe antes que o GR se coloque na linha de passe.
~ Utilizar fintas de passe e remate contra o GR.
~ Efetuar o remate pelo lado do pé de apoio do GR.

2×1+GR – dois atacantes contra um defesa e um GR 
~ Avançar rapidamente em escada e afastados para abrir o campo e a defesa.
~ Deixar sempre a linha de passe livre e decidir rápido o caminho a tomar.
~ Aproveitar o remate forte à baliza se as fintas não têm êxito ou a defesa está muito fechada.
~ Ter muito cuidado ao cruzar ou mudar o lado da bola, devido à interceção defensiva, sobretudo dentro da área do GR.

3×2+GR – três atacantes contra dois defesas e um GR.
~ “Ler” a defesa e eleger a melhor solução dentro das coletivas.
~ Utilizar o conceito de dividir para romper a zona defensiva.
~ Avançar até que o defesa saia à bola e obter linha de passe.
~ Aproveitar o movimento da defesa do primeiro passe para devolver ao centro e cruzar para a ala contrária.
~ Se o primeiro defensor está muito adiantado, aproveitar a inércia da corrida para o superar.

Referências: Sampedro, J. (1997). Fútbol Sala – Las aciones dei juego: Análisis metodológico de los sistemas de juego. Madrid: Gymnos Editorial; Silva, M., Costa, F., Souza, P. & Greco, P. (2004): Ações ofensivas no Futsal: Uma comparação entre as situações de jogo organizado, de contra-ataque e de bola parada. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto 4 (2); Dinis Pedro Ferreira da Silva “SITUAÇÕES DE SUPERIORIDADE NUMÉRICA OFENSIVA NO FUTSAL: Estudo de Padrões de Jogo com Recurso à Análise Sequencial”, Dissertação apresentada com vista à obtenção do grau de Mestre em Ciências do Desporto, 2011 

 

Conheça a Nossa Revista Desporto&Esport
A versão total são 200 páginas, 100% conteúdo e sem publicidade

ou

x

Check Also

Influência do clima motivacional e coesão de grupo para o sucesso no Futsal

Facebook Twitter LinkedIn Reddit WhatsAppA motivação é um dos construtos mais discutidos ...